Resenha: She's Beautiful When She's Angry

fevereiro 01, 2017

Oi gente, tudo bem com vocês? Eu espero que sim! Recentemente adicionei à minha lista na Netflix o documentário She's Beautiful When She's Angry, que aborda o movimento feminista nos anos de 1960 e conta um pouca da história das líderes que passaram por ele nesse período, é ótimo para analisarmos a evolução dos direitos conquistados pelas mulheres ao longo dos anos e do constante ataque a luta pela equidade de gênero. 

She's Beautiful When She's Angry

Direção: Mary Done
Ano: 2014
Duração: 1h32m

O documentário é baseado em entrevistas concedidas pelas líderes do movimento feminista na década de 60 e cenas dos fatos. Nas primeiras cenas já há imagens e falas sobre não acreditarem no que dizem as mulheres, por exemplo, se você fosse estuprada ninguém acreditaria em você, isso foi uma frase dita e referente ao contexto histórico e social de 1960. Entretanto, como disse Elis Regina na música Como nossos pais, "Minha dor é perceber / Que apesar de termos feito tudo o que fizemos / Ainda somos os mesmos e vivemos / Ainda somos os mesmos e vivemos / Como os nossos pais...". Apesar de toda conquista de direitos e de participação social que as mulheres obtiveram, a dúvida quanto a fala da mulher ainda é real, e provavelmente seja por isso que apenas 33,4% [dados do Conselho Nacional de Justiça] dos processos de violência contra a mulher são julgados no Brasil, a vítima ainda é tratada com desdem.

O mais incrível é a representação da interseccionalidade no movimento feminista de 1960 [leia aqui sobre o Feminismo Interseccional] apesar de apenas na década de 80 a militante Kimberlé Williams Crenshaw ter desenvolvido o conceito de interseccional. O documentário mostra no início em sua maior parte mulheres brancas militando e liderança as manifestações e reuniões, e o principal debate da interssecionalidade é evidenciar que o feminismo, que é excessivamente branco, classe média, cisgênero e capacitista, representa apenas um tipo de ponto de vista — e não reflete sobre as experiências de diferentes mulheres, que enfrentam múltiplas facetas e camadas presentes em suas vidas. Há a crença equivocada de que o único “privilégio” que se pode ter se refere à cor da pele. Entretanto, o indivíduo pode ser privilegiado por causa de sua classe social, formação educacional, religiosa, ou pelo fato de possuir capacidades mentais e físicas ou é cisgênero. 

SHE’S BEAUTIFUL WHEN SHE’S ANGRY

Desde que me tornei feminista, isso há cerca de quatro anos atrás, eu já sabia que queria cursar jornalismo e meu maior sonho se tornou então em produzir um trabalho acadêmico sobre o movimento feminista, o tema a ser abordado eu ainda não defini, mas com certeza She's Beautiful When She's Angry será sempre uma grande inspiração, com sua produção e apuração incrível de histórias e acontecimentos tão importantes para nós mulheres. O documentário me mostrou que nunca é demais questionarmos as coisas a nossa volta, essa é uma forma de libertação daquilo que nos foi imposto desde que nascemos. Daquelas típicas falas de que mulheres são frágeis, delicadas e cuidadosas. É importante lembrar que o feminismo não luta pra acabar com mulheres que tem essa personalidade e desempenha o papel de mãe e dona de casa, ele luta pra que se desempenhamos esse papel, que seja por nossa livre e espontânea vontade e não por imposição social ou de terceiros. 

Esse é um documentário incrível e que merece mais de cinco estrelinhas. É ótimo para quem precisa estudar sobre o movimento e seu desenvolvimento ao longo dos anos, para quem quer conhecer sobre o feminismo, pra quem já faz parte do feminismo e principalmente para aqueles que sabem que informação nunca é demais. Afinal, apesar de retratar a década de 60, todos os debates ainda se fazem atuais, pois vivemos em uma sociedade preconceituosa, e é sabido que o processo de desconstrução social é continuo. Me contem nos comentários se já assistiram ele ou algum outro documentário sobre feminismo, vou adorar saber. Beijos!


Você pode gostar...

34 comentários

  1. Oie, flor.
    Não sou de assisti documentários, mas gostei da primícia desse, e com certeza vou da uma chance.
    Parabéns pela resenha.
    Beijão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, espero que goste do documentário <3

      Excluir
  2. Como você disse, informação nunca é demais. Muita gente tem uma ideia errada de feminismo, e esse documentário pode ajudar e muito. Ainda não conhecia, mas só o fato de focar num assunto tão importante já me chamou a atenção <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é sempre bom estudarmos, tanto o que gostamos e o que não gostamos :D

      Excluir
  3. Oieee
    Amei sua indicação. Eu tive um minicurso na minha universidade que falava sobre a escrita de algumas mulheres, e esse documentário me pareceu bem interessante porque aborda esse tema de uma forma mais social. Que bom que já houve muitas mudanças desde os anos 60 até hoje, mas é bem verdade que é necessário mais.

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal, quero ter algo assim na faculdade também <3

      Excluir
  4. Não assistir a esse documentário ainda, mas como também faço jornalismo, seria uma boa levar esse documentário para sala de aula para assistirmos e refletirmos sobre o assunto que se faz tão importante nas nossas vidas!

    ResponderExcluir
  5. Uau, esse documentário parece ser incrível. É uma ótima oportunidade para conhecer ainda mais o movimento feminista e como você disse: analisar a evolução dos direitos conquistados pelas mulheres. Achei a postagem super bem escrita, meus parabéns!

    Você citou Jornalismo no seu texto, por isso gostaria de saber se você já fez alguma postagem para o blog sobre, pois eu adoraria ler, viu?

    Rascunhos de Tom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, muito obrigada pelo elogios! Vou começar jornalismo esse ano, farei posts aqui sim, com certeza! beijos <3

      Excluir
  6. Que bom que mais gente está falando sobre o feminismo e deixando cair por terra esses mitos que as pessoas acreditam. Temos que falar mais sobre o assunto mesmo. Vou assistir o documentário, acho que vou gostar!
    Beijos
    Mari
    www.pequenosretalhos.com

    ResponderExcluir
  7. Parece ser um documentário muito bom pela descrição! Que legal que você faz jornalismo, foi uma das minhas vontades no passado. Espero que você tenha sucesso com o seu projeto. Te convido para ver o documentário da Nina Simone, o What's Happened Miss Simone, é muito bom e vai te ajudar em relação ao seu trabalho também! Vou assistir esse que você indicou, porque fico meio perdida no universo feminista, rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza vou anotar e ver esse documentário também , muito obrigada pela indicação <3

      Excluir
  8. Ah já inclui na minha lista na Netflix! Não conheço muito do tema, mas nunca é tarde pra aprender, né?! beijos
    www.parisdepriscila.com

    ResponderExcluir
  9. Que post massa!! Eu já ouvi falar desse documentário, mas não me lembro de ter assistido. De qualquer modo, já adicionei na minha lista para vee depois.. Eu vi no canal bis um documentário sobre o feminismo (não me lembro o nome) que tinha como referência e ícone do movimentado uma banda punk/rock, onde as musicas tratavam o assunto sem mistérios, na lata. Muito bom mesmo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou procurar, obrigada pela indicação amore <3

      Excluir
  10. Raramente vejo documentários, mas pela temática desse e seu contexto tão atual, me interessei.

    ResponderExcluir
  11. Ainda não conhecia o documentário, gostei da indicação e já coloquei na minha lista para assistir em breve, pois aborda um assunto que eu apoio de mais

    ResponderExcluir
  12. "O feminismo não luta pra acabar com mulheres que tem essa personalidade e desempenha o papel de mãe e dona de casa, ele luta pra que se desempenhamos esse papel, que seja por nossa livre e espontânea vontade e não por imposição social ou de terceiros" frase realmente bonita, mas que funciona pouco na prática. Sem generalizar, mas a maioria das feministas que vi pela internet ou pessoalmente falavam a mesma coisa, mas degradavam as mulheres que estavam em casa em comentários ou em conversas. Talvez elas pensem que as donas de casa sofreram lavagem cerebral ou n sei oq, mas o fato é que muitas não respeitam a decisão. Mas n to aqui pra criticar, acho muito bonito que você tenha se inspirado no movimento para construir sua vida, sua profissão, todos nós precisamos de inspiração. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isa, infelizmente em todos os grupo sociais e movimentos há pessoas com opiniões contraditórias, o importante é não generalizarmos, fecharmos os olhos para os defeitos e sempre buscarmos ver o lado positivo daquilo para nos inspirarmos. Beijos <3

      Excluir
  13. O feminismo atual tem que ser com o espírito dos anos 60, lutando pelos direitos.
    Obrigada pela dica... Vou conferir!

    www.brilhamiga.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Pollyanna, é preciso resgatar esse espírito lindo dos anos 60 <3

      Excluir
  14. Adorei sua resenha, eu sinceramente ainda não vi nada assim sobre feminismo. Não conhecia esse documentário, vou procurar pra entender melhor e aprender mais sobre. Beijoss
    www.sandyhelena.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é muito bom, Sandy! Não encontrei nada assim também sobre o movimento feminista.

      Excluir
  15. Abri seu blog pela primeira vez agora, e já me apaixonei ao ver esse post! Melhor documentário do mundo! Tô adorando o blog também ;) beiju

    blogandinho.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eba! Fico feliz que tenha gostado e seja muito bem-vinda <3

      Excluir
  16. Olá!
    Lembro de ter assistido esse documentário no ano passado para agregar em uma apresentação sobre feminismo que eu iria fazer, e ele me ajudou bastante! Passa tanta informação importante e necessária, né? Acho uma ótima indicação, tanto para as já feministas, como nós, como também para as garotas mais novas que tem uma visão errada sobre esse movimento. Não sei se já assistiu, mas deixo como recomendação o filme As Sufragistas, você irá gostar bastante!

    http://sonhandoatravesdepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele agrega demais, é uma verdadeira inspiração mesmo. Ainda não vi As Sufragistas, só li resenhas, mas vou assistir, obrigada pela indicação ♥

      Excluir
  17. Eu assisto pouquissimos documentários (prefiro ler teses, artigos e etc), mas estou muito interessada por esse pelo o que você contou.
    O movimento feminista é algo muito importante e que já passou por fases muito nebulosas e ainda tem muitas outras para passar.

    Beijos
    www.jadeamorim.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também amo ler artigos, mas esse documentário tem um espaço bem especial no meu coração de tão maravilhoso haha <3

      Excluir

Post popular

Dê um like